sábado, 4 de fevereiro de 2012

Com melhora progressiva de Wando, respirador começa a ser retirado


Segundo boletim, cuidados intensivos são mantidos no CTI

O cantor Wando apresenta melhora progressiva, de acordo com o médico Heberth Miotto, coordenador do Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Biocor Instituto, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O boletim médico divulgado neste sábado (4) informa que foi iniciado o processo de retirada gradual da máquina que auxilia na respiração do cantor.
O médico explica que o respirador foi conectado a traqueia por meio de uma cânula para a passagem de ar. A abertura do orifício é feita durante o procedimento chamado traqueostomia. Segundo Miotto, na próxima semana, Wando já deve respirar sem a ajuda de aparelhos. “A retirada é gradual, de modo que segunda-feira ou terça, se estiver tudo bem, ele vai estar fora do respirador. Ai, então, vai voltar a respirar espontaneamente. A cânula na traquéia vai ser retirada posteriormente”, disse.
O boletim médico também informa que o cantor está acordado, consciente e se comunicando. Não houve complicações desde a noite desta sexta-feira (3). Os cuidados intensivos são mantidos no CTI.
Wando deu entrada no Biocor em 27 de janeiro com quadro de angina de peito e foi submetido a um cateterismo cardíaco. Exames constataram que ele estava com artérias do coração entupidas por placas de gordura. Era necessário fazer uma cirurgia de ponte de safena de urgência para substituir as partes das artérias com problemas. Mas o quadro clínico piorou, impedindo o procedimento.
Os médicos optaram então pela angioplastia, que é a implantação de malhas de aço nas artérias para permitir a passagem do sangue. Ele foi internado no CTI logo após a angioplastia.
Coração a 100%
Os médicos que atendem Wando disseram nesta sexta-feira (3) que o coração do cantor voltou a funcionar com 100% da capacidade cardiológica. Com a melhora, foi possível retirar o aparelho de assistência circulatória.
Durante coletiva no Biocor Intituto, os especialistas disseram que o cantor está em "recuperação de alto risco", ou seja, ainda corre risco de morte e de complicações renais, respiratórias e no coração.
O cantor saiu da área de risco informada pela Organização Mundial de Saúde, que diz que 80% dos pacientes com problemas semelhantes ao de Wando não sobrevivem. Ele estava com as três artérias coronárias com nível de entupimento de 90% e, hoje, está em 40%, segundo os médicos. Os dois chefes do CTI, Heberth Miotto e Joel Telles, além do cardiologista particular do cantor, João Carlos Dionísio, e do médico Eduardo Szuster, disseram que Wando chegou a sofrer um infarto no dia em que seria realizada uma ponte de safena, e que foi salvo porque já estava dentro do hospital. O procedimento foi suspenso, e uma angioplastia de múltiplas artérias foi realizada.
Wando estava com 110 quilos no momento da internação, 30 quilos a mais do que o considerado recomendado para sua altura, segundo o cardiologista João Carlos Dionísio.
Nesta sexta-feira (3), o cantor começou a se comunicar por gestos, já que está sem voz por causa da traqueostomia, procedimento de assistência respiratória por uma perfuração no pescoço. Os médicos disseram que as cordas vocais de Wando não foram afetadas.
Ainda de acordo com os especialistas, se o cantor mantiver o ritmo de melhora que tem apresentado, a previsão é que ele seja transferido para o quarto na semana que vem.


R7